Deputado que riu do próprio projeto muda versão e culpa assessoria

Share This:

O deputado estadual Felipe Attiê (PTB) enviou nesta sexta-feira (17) uma nota de esclarecimento sobre o vídeo que circula pelas redes sociais em que ironiza o Projeto de Lei 3.697, de 2016, que institui o Dia Estadual do Coach, durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) no último dia 8. Logo após zombar do projeto e dizer: “Coach?? Esses deputados, é brincadeira, viu…”, o presidente da comissão anuncia o autor: o próprio deputado Felipe Attiê.

O deputado foi procurado na última terça-feira (14) para comentar a imagens e disse que o vídeo não passava de uma montagem. “Falava do projeto anterior. O meu (projeto) do Coach vinha depois e era uma homenagem que estava sumida há dois anos. Não estava falando com o presidente da comissão e sim com o deputado no plenário. O som saiu e, em seguida, era meu projeto. Aí fizeram a montagem como se fosse contra”, explicou Attiê.

Agora, Attiê admitiu a autoria do projeto, mas disse que pediu o arquivamento do mesmo em 2016, por isso a surpresa ao ouvir que era sua a autoria do projeto. “O deputado pediu o engavetamento desse projeto de lei em questão em 2016, mas por um erro dele e da assessoria, a proposição continuou tramitando à revelia do gabinete. Quando o parlamentar viu a matéria em votação na Comissão de Constituição e Justiça, ficou surpreso e criticou o projeto para criação da data comemorativa”, explicou.

Veja a íntegra da nota:

“Depois de passado o feriado da Proclamação da República, o deputado estadual Felipe Attiê (PTB/MG) apurou os fatos sobre o vídeo que tem circulado na internet e admite que houve uma falha na tramitação deste projeto de criação do “Dia do Coach”. Ele pediu o engavetamento desse Projeto de Lei em questão em 2016, mas por um erro dele e da assessoria, a proposição continuou tramitando à revelia do gabinete. Quando o parlamentar viu a matéria em votação na Comissão de Constituição e Justiça, ficou surpreso e criticou o projeto para criação da data comemorativa.

Por coincidência, outro deputado estadual havia dado entrada em projeto para a criação do “Dia do Coach”, agora em novembro, e que acabou sendo apensado ao PL de autoria do deputado estadual Felipe Attiê, que estava engavetado e sem nenhum andamento na tramitação havia mais de um ano. Entretanto, na Assembleia mineira, quando um projeto é apresentado com escopo semelhante, ele é apensado ao que veio primeiro.

No entanto, a matéria do deputado Felipe Attiê, inclusive, chegou a ficar fora do prazo de apreciação, pois a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) perdeu este prazo para elaboração de parecer. Para o deputado, esta proposição dele já era matéria vencida e com pedido à equipe do gabinete para que não tramitasse, com orientação à assessoria parlamentar para que fosse transformada em uma homenagem, pois em 28 anos de mandatos parlamentares, ele nunca apresentou proposição com o objetivo de instituir dia “disso ou daquilo”, por considerar inócuo.

Além da atual legislatura na Assembleia atualmente, Attiê foi vereador durante cinco mandatos consecutivos e NUNCA apresentou projeto de lei com esse tipo de teor. Mas aí ocorreu o erro, pois o PL acabou sendo protocolado pela equipe do gabinete na versão de criação do dia do coach e não como uma simples homenagem, como era a orientação do parlamentar.

Cabe salientar que o deputado estadual Felipe Attiê, que é presidente da Comissão de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da ALMG, não faz parte da CCJ. Ele estava nessa reunião em que houve a publicação do vídeo na internet para falar sobre a conversa com a desembargadora Albergaria Costa, que está com o processo que proíbe a bitributação do ICMS na conta da CEMIG.

Também é bom frisar que ele respeita os profissionais de coach, mas  acredita que os parlamentares têm uma missão mais relevante do que apenas propor leis deste tipo com homenagens. Basta ver a última matéria que ele apresentou na Assembleia, no mesmo dia dessa reunião da CCJ, propondo que os créditos de vale transporte não expirem, beneficiando os usuários. Conforme mostra a imagem 2 da data de apresentação do PL.

O deputado estadual Felipe Attiê é o majoritário em Uberlândia, tendo sido o candidato à Assembleia mais bem votado na segunda maior cidade de Minas Gerais e nunca teve seu nome envolvido em NENHUM caso de corrupção. Nesta primeira legislatura na capital mineira, ele tem tido uma postura combativa na oposição ao governo Pimentel do PT e continuará mantendo uma conduta presente e atuante nas causas que defende, como Habitação, tendo sido secretário municipal da pasta em Uberlândia, quando foram construídas 18 mil moradias, e na defesa dos consumidores, ocupando o cargo de presidente desta Comissão Temática da Assembleia Mineira”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido!!